angioplastia da carótida

Como a angioplastia da carótida previne o AVC?

Idade, raça, predisposição genética e sexo são alguns fatores que contribuem para a ocorrência de um Acidente Vascular Cerebral (AVC). No entanto, uma mudança no estilo de vida e a adoção de hábitos saudáveis são capazes de prevenir a doença. Dentre as formas de se evitar um AVC, principalmente quando os vasos cerebrais já encontram-se comprometidos, está a angioplastia da carótida.

O AVC é uma das principais causas de morte, incapacitação e internações em todo o mundo. Ele ocorre quando os vasos sanguíneos que levam o sangue para o cérebro se entopem ou se rompem. Dessa maneira, ele provoca a paralisia de determinada área cerebral, que foi prejudicada pela falta de circulação sanguínea.

Saiba mais sobre o assunto, a seguir.

O que é a angioplastia da carótida?

Este tipo de angioplastia é feito nas artérias carótidas. Localizadas no pescoço, elas transportam o sangue também para o rosto e para o cérebro. Por isso, quando tais artérias encontram-se com o quadro de estenose, a angioplastia na veia carótida torna-se uma opção de tratamento, uma vez que o fluxo sanguíneo que seria destinado para a cabeça fica prejudicado.

O entupimento da artéria carótida pode provocar  o AVC isquêmico de qualquer intensidade. Com o procedimento, pretende-se, portanto, evitar que o fluxo sanguíneo no cérebro seja interrompido.

Como é a angioplastia da carótida?

Realizada por meio de imagens radioscópicas, o procedimento necessita de anestesia local. Normalmente, utiliza-se a artéria da virilha, do braço ou do pulso, para se chegar até a artéria carótida. Assim, um stent é introduzido e conduzido até o local em que se encontra a estenose. Após o posicionamento, o balão é inflado e o stent é expandido, aumentando, assim, a parede da artéria.

Um filtro também é inserido no fim da estenose. Assim, caso algum fragmento da placa se desprenda da artéria, ela é impedida de ir, junto ao fluxo sanguíneo, para o cérebro. O stent atua, portanto, como um dilatador de artéria, facilitando a passagem do sangue para as outras regiões.

Quando a angioplastia da artéria carótida é indicada?

Para que o procedimento seja feito, é necessário comprovar, por meio de exames, a estenose. Para isso, é indicada a realização de uma arteriografia de carótidas. Considerado invasivo, esse exame é feito em ambiente hospitalar. O médico introduz um cateter em uma veia, geralmente nos braços ou pernas, e injeta um contraste. Assim, é possível avaliar doenças que atingem as artérias e sua gravidade.

Por que fazer o procedimento?

A aterosclerose é uma doença grave, que provoca a obstrução gradual das artérias. Uma das consequências é a limitação do espaço de passagem do sangue, que, à medida que o tempo passa, torna-se cada vez mais estreito. A principal consequência é o AVC, patologia que, além de ter um alto índice de mortalidade, incapacita.

De uma maneira em geral, a prevenção é o melhor meio de se evitarem doenças arteriais. Para isso, é recomendável uma alimentação saudável, livre de gorduras saturadas que podem provocar o entupimento das artérias. Além disso, a prática de atividade física auxilia no controle dos níveis de colesterol, que também são responsáveis pelo surgimento das placas de gordura.

Quer saber mais sobre angioplastia da carótida? Estou à disposição para solucionar qualquer dúvida que você possa ter e ficarei muito feliz em responder aos seus comentários sobre este assunto. Leia outros artigos e conheça mais do meu trabalho como cirurgiã vascular em São Paulo!

Comentários

O que deseja encontrar?

Compartilhe

© Desenvolvido com pelo iMedicina. Todos os direitos reservados.