varizes

Qual a relação entre anticoncepcionais e varizes

As mulheres temem muito as varizes, uma vez que elas impactam o aspecto visual e, dependendo da gravidade, interferem na autoestima. O aparecimento dessas veias superficiais, anormais e dilatadas tem como causa muitos fatores, entre eles o uso do anticoncepcional, principalmente, para as mulheres com predisposição genética.

As varizes são caracterizadas por uma alteração funcional da circulação venosa do organismo. São mais incidentes no sexo feminino. O estrogênio e a progesterona, hormônios que fazem parte da composição dos anticoncepcionais, provocam efeitos nas estruturas envolvidas na circulação e no fluxo do sangue corporal. Por isso, estão relacionados às anormalidades das veias.

O estrogênio altera as paredes das veias e afeta as válvulas responsáveis pelo controle da passagem do sangue dentro delas. Enquanto a progesterona eleva a dilatação das veias e o fluxo de sangue que passa por ali. Dessa forma, vasos sanguíneos passam a trabalhar sob um regime de pressão acima do normal, o que pode resultar no aparecimento das varizes.

Alternativas de contraceptivos

A pílula anticoncepcional é um medicamento que só deve ser ser usado com prescrição médica. Exames podem ser solicitados pelo ginecologista ou pelo cirurgião vascular, para que seja avaliada a possibilidade de predisposição genética a doenças vasculares, antes de se receitar o medicamento.

O acompanhamento do profissional especializado será criterioso e, assim, a quantidade de hormônio será mais bem avaliada para cada pessoa. Alternativas devem ser analisadas na consulta médica. Entre as opções estão o uso de outros contraceptivos como DIU, implante subcutâneo ou subdérmico, diafragma, camisinha e método da tabelinha.

Cuidados constantes

Os médicos afirmam que o anticoncepcional piora o quadro das veias. O uso de anticoncepcional por mulheres que já apresentam um quadro de varizes tende a agravar as veias varicosas. Além disso, aumenta a incidência de tromboflebite e o número de pequenos vasinhos, em decorrência do estrogênio.

As varizes são uma preocupação para qualquer idade. Contudo, mulheres com 35 anos ou mais devem ficar ainda mais atentas, pois fazem parte da idade de risco para desenvolver esse problema mais facilmente.

Dessa forma, qualquer mulher que sinta dor nas pernas, ardência ou incômodo com o aspecto das varizes nos membros inferiores devem procurar um cirurgião vascular para solucionar o desconforto. Da mesma forma, os sintomas são importantes para prevenir possíveis complicações.

Optar por medicamentos compostos apenas por progesterona é uma dica recomendada para as mulheres com varizes ou vasinhos, ou estão mais propensas a tê-los. Esse hormônio sozinho interfere menos no sistema vascular do que quando combinado ao estrogênio. Os anticoncepcionais livres de estrogênio podem ser encontrados em via oral ou injetável.

Tratamentos para varizes

Existem tratamentos específicos para os tipos de varizes apresentadas, que dependem da veia a ser tratada. Aqueles cordões varicosos, salientes e visíveis que elevam a pele e aquelas pequenas veias de trajeto tortuoso ou retilíneo são de tratamento cirúrgico. Enquanto as telangiectasias, ou aranhas vasculares (pequenos vasos sanguíneos dilatados na pele), devem ser tratadas pela escleroterapia (injeção de uma solução esclerosante dentro desses vasos).

Quer saber mais? Estou à disposição para solucionar qualquer dúvida que você possa ter e ficarei muito feliz em responder aos seus comentários sobre este assunto. Leia outros artigos e conheça mais do meu trabalho como cirurgiã vascular em São Paulo!

Comentários

O que deseja encontrar?

Compartilhe

© Desenvolvido com pelo iMedicina. Todos os direitos reservados.