úlcera venosa

Úlcera venosa: sintomas e tratamentos

A úlcera venosa é uma doença que pode acometer qualquer pessoa, trazendo sintomas desconfortantes. No entanto, apesar de ser um problema que gera dores e inchaços, há meios de contornar a situação, devolvendo a saúde para o seu corpo.

Mas, para isso, é importante observar os sinais e procurar a ajuda de um médico especialista, pois ele vai avaliar o caso e indicar os tratamentos mais seguros e eficazes.

Para que você possa entender mais sobre esse assunto, continue a leitura! Neste artigo, vamos mostrar o que é essa doença de pele e como tratá-la.

O que é úlcera venosa?

É um tipo de ferida que costuma atingir os tornozelos e ocorre porque a pessoa apresenta insuficiência venosa, fazendo com que o sangue fique acumulado na região, causando rompimento das veias. Como consequência, surgem machucados que provocam dor e não cicatrizam.

Apesar de ser uma patologia que não oferece riscos sérios, ela pode causar grande desconforto e incapacidade, prejudicando a qualidade de vida do portador. Esse tipo de úlcera é mais frequente em idosos ou pessoas com problemas sistêmicos que afetam a circulação sanguínea.

Sintomas da doença

Por ser uma lesão que não cicatriza, ela pode provocar diversos sintomas, tais como:

  • dor intensa e variável;
  • inchaço nas pernas, especialmente nos tornozelos;
  • edema;
  • descamação dos membros inferiores;
  • mudança na tonalidade da pele e espessamento;
  • coceira e sensação de peso;
  • surgimento de varizes.

Inicialmente, a úlcera apresenta bordas irregulares e é superficial, contudo, com o tempo ela se torna mais profunda e tem bordas bem definidas, podendo expelir um líquido amarelado.

Diagnóstico

Para diagnosticar, o médico vai avaliar as características apresentadas pelo paciente, como a localização da lesão, o tamanho, as bordas e a profundidade. Também analisará os sintomas descritos, observando o espessamento e a cor da pele, além de inflamações do local.

Tratamentos

O tratamento indicado vai depender da avaliação médica. Em todos os casos, o procedimento não deve ser realizado apenas para curar os sintomas e cicatrizar a ferida, mas também como medida preventiva de recidivas.

Em situação mais intensificada, com lesão profunda, o procedimento pode ser cirúrgico, feito por meio de espumas, laser ou radiofrequência para retirar ou fechar as veias doentes. Também pode ser sugerida a prática de exercícios físicos para fortalecer os músculos das pernas, melhorando a circulação e o retorno venoso.

Além disso, é fundamental fazer curativos especiais, como a bota de Unna que nada mais é que um tipo de bandagem esterilizada, contendo substâncias que ajudam na cicatrização da ferida. Esse curativo aumenta o fluxo venoso e fornece compressão nos membros, sendo um processo essencial para acelerar a cura e evitar que novos ferimentos apareçam com o tempo.

Outra técnica muito aconselhada é levantar as pernas acima do coração para diminuir o edema e ajudar na circulação.

A úlcera venosa não é fatal, mas pode provocar diversas sensações ruins que prejudicam a saúde da pessoa. Por isso, ao verificar qualquer sinal, procure ajuda médica e faça todos os exames. Assim, o tratamento poderá ser iniciado sem prolongar a situação.

Quer saber mais? Estou à disposição para solucionar qualquer dúvida que você possa ter e ficarei muito feliz em responder aos seus comentários sobre este assunto. Leia outros artigos e conheça mais do meu trabalho como cirurgiã vascular em São Paulo!

O que deseja encontrar?

Compartilhe

Share on facebook
Share on linkedin
Share on google
Share on twitter
Share on email
Share on whatsapp

© Desenvolvido com pelo iMedicina. Todos os direitos reservados.