linfedema

Você sabe o que é linfedema?

Já ouviu falar em linfedema? Linfedema corresponde a um acúmulo linfático (de linfa) nos tecidos do organismo. A linfa, por sua vez, é um líquido que se origina do sangue e contém água, gordura, proteínas e outros resíduos em sua composição. Nesse líquido, por exemplo, há material proveniente das células circulantes nos vasos linfáticos, células estas que são responsáveis por transportar os glóbulos brancos e atuar nas defesas do corpo.

Por não conter glóbulos vermelhos, a linfa é um fluido incolor. Cumpre salientar que ela é capaz de eliminar diversas impurezas que as células produzem e carregam em si durante a metabolização.

Quando a linfa corporal fica acumulada em tecidos moles do corpo, a exemplo das pernas e braços, acontece o linfedema. Desse modo, o sistema linfático é atingido e, tanto os gânglios como os vasos podem ser lesionados ou exterminados. Em alguns casos, pode ocorrer uma obstrução que bloqueia o retorno da linfa e, consequentemente, gera o aumento anormal dos membros afetados pelo linfedema.

Quer entender melhor essa condição? Continue lendo o artigo!

Tipos de linfedema

O linfedema pode ser primário ou secundário. O primário, também chamado de linfedema congênito, acontece geralmente antes dos 35 anos de idade e aparece sem que haja nenhum motivo específico, nenhum trauma ou lesão, já que a pessoa nasce com o problema que tende a se manifestar no decorrer dos anos.

O secundário, em contrapartida, tem uma causa conhecida. A condição pode ser desencadeada por inflamações, infecções no sistema linfático, lesões decorrentes de cirurgias, tumores malignos e, até mesmo, efeitos de radiação.

Sintomas do Linfedema 

O principal sintoma do linfedema é o inchaço. Vamos fazer uma comparação: pense que o linfedema ocorre justamente quando a linfa não consegue fluir adequadamente para o coração e acaba acumulando nos tecidos. É como se fosse um engarrafamento no trânsito. Assim como as vias públicas ficam com veículos parados em um lugar, os braços e pernas ficam com fluido linfático acumulado, formando um edema, isto é, um inchaço. Tal inchaço pode piorar no final do dia e, em boa parte dos casos, não causa dor.

Tratamento  

Há diversas abordagens terapêuticas para tratar o linfedema. Quanto mais precoce for o diagnóstico, melhores serão os resultados do tratamento. Por ser uma doença crônica, não existe cura, mas é possível controlar essa condição por meio de medidas paliativas, capazes de amenizar os sintomas e evitar o agravamento do quadro.

Entre essas medidas, vale citar a manutenção de um peso saudável por meio de alimentação balanceada e prática regular de exercícios, elevação das pernas sempre que conseguir, drenagem linfática, uso de meia compressora, atividades miolinfocinéticas, realização de check-ups vasculares e uso de medicação linfocinética. 

A depender do caso, a cirurgia para remoção do excesso de tecido pode ser indicada. Converse com o médico especialista em saúde vascular para receber orientações sobre o protocolo a ser seguido.


Quer saber mais sobre linfedema? Estou à disposição para solucionar qualquer dúvida que você possa ter e ficarei muito feliz em responder aos seus comentários sobre este assunto. Leia outros artigos e conheça mais do meu trabalho como
cirurgiã vascular em São Paulo! 

O que deseja encontrar?

Compartilhe

Share on facebook
Share on linkedin
Share on google
Share on twitter
Share on email
Share on whatsapp

© Desenvolvido com pelo iMedicina. Todos os direitos reservados.